Tag - refluxo

Por que tenho pigarro?

Você já deve ter sentido aquela sensação desagradável de que há alguma coisa presa na garganta, certo? Esse pigarro raramente representa um perigo para a saúde, e muitos vezes as pessoas nem investigam a causa ou suspeitam ser algo mais grave, mas se o sintoma for frequente é preciso procurar um especialista.

A grande maioria dos pacientes limpa a garganta na tentativa de eliminar o pigarro de forma espontânea, sem perceber os perigos que podem estar escondidos neste hábito tão comum. Por isso, ficar atento à frequência com que você elimina o pigarro é essencial para diagnosticar uma possível complicação e realizar o tratamento mais adequado para seu caso.

O que ele pode indicar?

Em períodos de pouca umidade e temperaturas baixas, é comum que nosso organismo tenha maior concentração de células da defesa na via respiratória, causando irritação no local, que por sua vez irá resultar no pigarro. O sintoma é muito comum em quadros de gripes e resfriados, desaparecendo assim que essas complicações são curadas.

Mas nem sempre o problema é tão simples assim, uma vez que pode ser um sinal de alerta para complicações mais graves, principalmente se o sintoma for contínuo. Saiba o que ele pode indicar!

Refluxo faringo-laríngeo

Considerada uma das principais causas do pigarro, o refluxo faringo-laríngeo é ocasionado pelo retorno de ácidos do estômago para a garganta, criando a sensação de que algo está preso na região. Além do pigarro, o refluxo faringo-laríngeo causa outros sintomas otorrinolaringológicos, como tosse seca e rouquidão.

O tratamento para o problema deve ser realizado com base em orientações dietéticas, modificando o horário e tipo de alimentação do paciente para diminuir a produção de ácidos estomacais.

Rinossinusite aguda

A rinossinusite aguda pode ser desencadeada por infecções virais que ocorrem durante gripes, resfriados ou crises alérgicas. Como consequência da infecção na garganta, o organismo reage produzindo muco em excesso, que irá resultar no pigarro.

O diagnóstico da rinossinusite é realizado clinicamente através de avaliação médica e exame físico. O tratamento é realizado a base de medicamentos, como anti-inflamatórios e descongestionantes nasais.

Câncer de laringe

O câncer de laringe é um dos mais comuns entre os que atingem a região da cabeça e pescoço, ocorrendo, predominantemente, em homens acima de 40 anos de idade. O pigarro pode ser um dos sintomas iniciais de câncer de laringe, que pode ser acompanhado de outros sinais, como dor de garganta, alterações na voz e disfagia.

O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de que o tratamento seja efetivo no combate ao câncer. Por isso, se você notar a presença dos sintomas acima, é importante buscar ajuda médica o quanto antes.

Laringite crônica

A laringite crônica é uma condição inflamatória que atinge a laringe e persiste por mais de 3 semanas. Muitas vezes causada por irritação prolongada das cordas vocais, a condição tem como principais sintomas o pigarro, dor de garganta, tosse e rouquidão.

O tratamento depende da causa do problema, mas, geralmente, consiste em descansar a voz e evitar exposição a agentes que possam afetar as cordas vocais, como cigarro, poluição e fumaça.

Leia mais...

Tosse: tipos, causas e o que fazer

A tosse decorre de qualquer processo irruptivo e é um reflexo natural do sistema respiratório. A função dela é atuar na defesa do organismo, removendo agentes irritantes e limpando a via respiratória. Ela também serve de alerta para uma eventual infecção ou alergia.

Causas de tosse

As causas são diversas, entre elas, podemos listar as seguintes:

  1. Infecção viral: gripes, resfriados, faringites, laringites
  2. Alergia: alergênico como poeira domiciliar, ácaros, fungos , pelos de animais etc.
  3. Inalação de irritantes: poluição, produtos químicos ou de limpeza, perfumes etc
  4. Ar condicionado ou temperatura fria e seca: o ar frio e seco è irritante  para a via respiratória.
  5. Infecções pulmonares: podem ser agudas como pneumonia ou crônica como tuberculose
  6. Tabagismo.( leia mais)
  7. Sinusite: a tosse óssea ocorre por presença de secreção em seios paranasais que “escorre” pela parte posterior do nariz em direção a garganta.
  8. Refluxo faringo laringeo ou refluxo gastroesofágico
  9. Aspiração de corpo estranho: mais frequente em crianças que, por hábito levam objetos a boca. Pode ocorrer aspiração desse objeto.
  10. Bronquite crônica, asma ou enfisema pulmonar
  11. Tumores

Leia também: Água no ouvido após banho de mar ou piscina: o que fazer?

Tipos de tosse

A tosse pode ser seca ou produtiva. A diferença entre elas é a presença de muco. No tipo produtivo há presença de secreção, que pode ser de pequena a grande quantidade, de clara a mais escura e até com laivos de sangue.

 cor da secreção é um indicativo da causa. Secreção clara ou transparente está associada a alergias ou gripes e resfriados ( leia mais sobre gripes e rinite alérgica). Já a secreção amarelada ou esverdeada sugere infecção. A presença de secreção sanguinolenta está associada a pneumonia, bronquite ou situações mais graves como tuberculose e câncer.

A tosse seca não tem secreção e muitas vezes está associada àquela ” coceira” na garganta.  E quanto mais irritação mais tossimos… e quanto mais tossimos mais irritação..!!

A tosse também é dividida pela sua duração. Uma tosse aguda, habitualmente, é de curta duração. Muitas vezes apresenta outros sintomas como obstrução nasal, dor de garganta, rouquidão e etc.

Já a crônica perdura por  mais de  8 semanas e tem causas diversas.

E o que fazer?

Se a tosse persiste um médico deverá ser consultado. O diagnóstico da causa  é fundamental para guiar o tratamento correto.

Como citado acima as causas  são diversas e podem ocorrer simultaneamente em uma mesma pessoa. O diagnóstico diferencial  é realizado através de exame  e história clínica, exames laboratoriais e de imagem.

Recomendações que podem ajudar:

Hidratação: beber água ajuda na fluidificacao de secreções e hidratação de toda a via área.

  1. Lavagem nasal com soro fisiológico: rinites e sinusites são causas muito frequente de tosse. Manter uma boa respiração nasal sem acúmulo de secreções ajuda a controlar o sintoma.
  2. Evite comer muito antes de deitar.
  3. Evite café, chá preto ou mate, chocolate e alimentos condimentados: eles podem piorar sintomas de refluxo.
  4. Umidificador ou vaporizador nos dias mais secos ajudam a aumentar a umidade do ar.
  5. Mantenha o ambiente ventilado.

Dicas caseiras 

O mel tem ação comprovada em reduzir a tosse. Atua ao diminuir a inflamação a garganta,e , consequentemente a tosse.

O própolis tem propriedades antimicrobianas e, no caso de uma infecção ajuda também. Gengibre e alcaçuz tem propriedades semelhantes.

Os Chas quentes ajudam pela temperatura: o calor do chá costuma trazer alívio da tosse. Porém convém evitar os chas com muita cafeína ( preto e mate).

Em nenhuma hipótese tome  medicamentos ou xaropes  sem consultar um médico. Cada medicamento age de uma forma e é especifico para cada tipo de tosse.

 

Fonte: Medprimus

Leia mais...