Tag - Garganta

Afinal, o que é carne esponjosa?

12834964_10201678529721164_805130897_nO termo “carne esponjosa” costuma ser utilizado por pacientes e médicos para se referir a diversas estruturas. Como se trata de um termo pouco preciso, o ideal é que se conheça um pouco sobre cada uma dessas estruturas, para que se saiba onde está o problema.

As amígdalas e a adenóide são as estruturas mais freqüentemente chamadas de carne esponjosa. As amígdalas (também conhecidas como tonsilas palatinas), estão localizadas na boca, e a adenóide (também conhecida como tonsila faríngea), está localizada atrás das fossas nasais. Ambas são parte de um conjunto de estruturas chamado anel linfático de Waldeyer. Este anel se situa na entrada do sistema respiratório, e por isso é acometido por um grande número de infecções. São formadas por aglomerados de células que têm a função de produzir anti-corpos, que são proteínas envolvidas na defesa do organismo contra as mais diversas infecções. Esta função é mais importante na infância, período após o qual costumam diminuir de tamanho.

Os principais problemas que acometem as amígdalas e a adenóide podem ser divididos em infecciosos e obstrutivos. Os primeiros costumam ser acompanhados de febre, dor de garganta, mal-estar e perda de apetite; levando geralmente o paciente a procurar um médico. Já os problemas obstrutivos nem sempre são facilmente percebidos, e são decorrentes do crescimento exagerado das amígdalas e da adenóide. Isto leva a uma dificuldade respiratória, por vezes até para se alimentar, roncos durante o sono, respiração pela boca constante, aumento da secreção nasal, fungação, tosse e diminuição da audição. Os processos infecciosos são tratados com medicação adequada para cada caso, e quando se repetem seguidamente (amigdalite recorrente), ou quando levam a alguma complicação (abscesso), pode ser indicada a realização de uma cirurgia para a retirada das amígdalas (amigdalectomia). Já os processos obstrutivos necessitam de cirurgia mais freqüentemente, podendo ser necessária a retirada da adenóide (adenoidectomia), associada ou não à retirada das amígdalas, caso estejam exageradamente aumentadas.

Além das amígdalas e adenóides, ouvimos eventualmente alguém utilizar o termo “carne esponjosa” para se referir aos cornetos nasais. Os cornetos nasais são estruturas localizadas na parede lateral do nariz, que têm a função de aquecer, umidificar e modular o fluxo do ar respirado. O aumento exagerado do volume dos cornetos nasais também pode ser causa de dificuldade respiratória, como ocorre freqüentemente em adultos e crianças com rinite alérgica.

Clique aqui e se informe sobre Exame para avaliação da cavidade nasal e rinofaringe

É importante lembrar que sempre que houver a suspeita de infecção de garganta, deve-se procurar o médico, seja o pediatra ou o otorrino, evitando-se assim complicações mais graves, como a febre reumática (que pode causar graves problemas cardíacos), e doenças renais. Além disso, as crianças que respiram pela boca durante muitos anos, podem ter alterações irreversíveis no crescimento da face, levando a alterações da fala e a necessidade de tratamento ortodôntico, entre outros problemas.

Fonte: Academia Brasileira de Rinologia

Leia mais...

Aedes Aegypti

12834632_10201678484240027_1874837789_nO surto das arboviroses ligadas ao mosquito AEDES AEGYPTI como: Dengue, Chikungunya e Zika, têm causado grandes transtornos à nossa população.

Lembramos que os estudos apontam para uma associação entre o Zika vírus e a temida Microcefalia em Crianças de GESTANTES infectadas pelo Zika.

Dor de Garganta, sangramentos Nasais, Vertigem e Zumbidos são sintomas que podem estar associados a essas doenças. Nesses casos, procure um Otorrinolaringologista. Ajude no Controle do Mosquito! Conte com a Otocenter Recife. Marque sua consulta: (81) 3039-5005 / 3033-5010

Leia mais...

Otorrino pediatria Unimed Recife

otorrino_pediatria_unimed_recifeAtravés do plano de saúde Unimed Recife, o paciente poderá fazer sua consulta de Otorrino pediatria na Otocenter Recife.

O otorrinolaringologista assume papel fundamental no acompanhamento de pacientes nessa idade, tanto na identificação precoce de deficiência auditiva como no tratamento adequado dos distúrbios respiratórios. Clique aqui e tire suas dúvidas.

Agende sua consulta > (81) 3039-5005 / (81) 3033-5010

Leia mais...

Otorrino Unimed

otorrino_unimed_recifeAtravés do plano de saúde Unimed Recife, o paciente poderá fazer na Otocenter Recife:

CONSULTAS de Otorrinolaringologia geral, Otorrino pediatria, Reabilitação vestibular, Teste de prótese auditiva e Terapia da fala e estudo da voz.

EXAMES, como o Teste da orelhinha, Videoendoscopia nasal (Nasofibroscopia), Videolaringoscopia, Videoendoscopia da deglutição, Exame Vestibular e Audiometria.

CIRURGIAS de Amígdalas e adenoides, Ouvido (Timpanoplastia e Timpanomastoidectomia), Nariz (Septoplastia e turbinectomia, Cirurgia endoscópica dos seios paranasais, Redução de fratura nasal e Cirurgia de base de crânio), Laringe (Microcirurgia de laringe e Tireoplastia),

Agende sua consulta com um especialista > (81) 3039-5005 / (81) 3033-5010

Clique aqui e entre em contato.

Leia mais...

Tipos de rouquidão

foto

rouquidão, também denominada disfonia, consiste em uma alteração vocal muito comum na população, sendo definida como qualquer problema ocorrido no aparelho fonador que resulte na falta de clareza do som.

Este comumente é um problema de caráter transitório, podendo ser classificada como aguda, que apresentam curta duração, ou crônica, quando persistem por mais de 15 dias.

Clique aqui e conheça a consulta de Terapia da fala e estudo da voz 

CONHEÇA OS DOIS TIPOS DE ROUQUIDÃO:

– FUNCIONAIS
Neste caso, a rouquidão é consequência do próprio uso da voz, não havendo a presença de nenhuma moléstia nas cordas vocais. Pode ocorrer por dois mecanismos distintos:

  • Uso inadequado da voz, como, por exemplo, causado pela imitação de outros padrões de voz, que não a do próprio indivíduo; em casos do uso excessivo da voz, como é o caso dos cantores;
  • Inadaptações fônicas, quando o aparelho fonador do indivíduo não está muito bem adaptado à fala. Essas inadaptações podem decorrer de alterações anatômicas, como malformação da laringe ou funcionais, como problemas das relações fala/ respiração, fala/deglutição.

– ORGÂNICAS
A rouquidão, neste caso, ocorre devido a alguma alteração anatômica das cordas vocais, como, por exemplo, cistos, nódulos, pólipos, edema de Reinke, papilomas, paralisia das cordas vocais, entre outros. O refluxo esofágico pode levar à irritação das cordas vocais, resultando em rouquidão.

A causa mais comum de rouquidão aguda é a laringite aguda causada por infecção viral ou bacteriana. Nesse caso, a rouquidão pode surgir isoladamente ou acompanhada de coriza e tosse.

A causa da rouquidão pode ser identificada por meio de exames específicos, no qual é possível observar as cordas vocais e identificar lesões presentes nas mesmas que podem ser a causa da rouquidão.

Quando se trata de rouquidão funcional, o principal tratamento é a fonoterapia, na qual o paciente aprende utilizar a fala de maneira mais adequada.

Nos casos de rouquidão de origem orgânica, a causa específica deve ser tratada. No caso de nódulos nas cordas vocais, a fonoterapia é uma opção de tratamento, porém em certos casos se faz necessária a realização de cirurgia para sua ressecção. Os pólipos e os cistos são removidos cirurgicamente e, por conseguinte, é feita a fonoterapia pós-cirúrgica. O edema de Reinke é tratado por meio do abandono do fumo, juntamente com fonoterapia. A paralisia das pregas vocais é tratamento somente por meio de fonoterapia, enquanto que os papilomas são tratados cirurgicamente; todavia, o risco de recidiva é grande.

Fonte: InfoEscola

Leia mais...

Doenças de inverno

otocenter_recife

Basta começar o período de frio e chuvas que as doenças começam aparecer. Em casa, no trabalho ou na escola, as doenças de inverno atacam a garganta, o aparelho respiratório, os ouvidos e os pulmões. A queda de temperatura, o ar seco, a poluição, os casacos de lã que ficaram guardados no armário, e o fato de ficarmos em ambientes fechados, tudo isso favorece a ação de vírus e bactérias.

Essas doenças, se tratadas de maneira correta, não causam grandes transtornos, apenas incômodos. Quando se agravam, porém, podem até levar à morte. Conheça as principais e fique atento para tratá-las da maneira correta.

Alergia 
É uma reação do corpo a substâncias que podem ser encontradas em alimentos, roupas, animais, poeira, mofo. No inverno, as alergias típicas são as que envolvem o aparelho respiratório. Por isso, causam tosse e coceira nos olhos e na pele. Para tratá-la, primeiro vá ao médico para descobrir o que a causou. Os tratamentos devem ser prescritos por especialistas, que receitam desde antialérgicos e cortisona até vacinas.

Amidalite 
Inflamação das amídalas, responsáveis por filtrar pela boca possíveis infecções para o resto do corpo. Pode ser causada por vírus ou por bactérias. Causa dor de garganta, febre, mau hálito e gânglio no pescoço. Clique aqui e leia sobre a cirurgia de Amígdalas e adenoides.

Asma 
Também pode ser chamada de bronquite asmática ou alérgica. Pelos nomes já dá para perceber que ela é causada por uma reação alérgica ou por infecção das vias respiratórias. É uma inflamação do pulmão e das vias aéreas, que congestiona os brônquios e impede a entrada do ar aos pulmões. A falta de ar e o chiado – aquele barulho de gatinho ao respirar, são os primeiros sintomas. Se não tratada, pode causar enfisema pulmonar. Os médicos costumam receitar as famosas bombinhas, além da inalação com soro fisiológico e medicação.

Bronquite 
Ocorre quando os brônquios ficam inflamados e o ar não consegue chegar aos pulmões. Daí vem o catarro e a tosse seca com chiado. Se não for tratada, a tosse se agrava, aparecem escarros e a bronquite pode progredir para uma pneumonia. Uma forte fadiga, mal-estar geral e febre também podem ocorrer. Alergias, irritações pela fumaça ou fumo, podem causar a bronquite. Quem está com a doença não deve fumar ou ficar em locais fechados ou poluídos. Xaropes expectorantes eliminam o catarro. Inalação também é indicada, e médicos podem receitar antibióticos.

Faringite 
É uma inflamação na faringe (localizada entre as amígdalas e a laringe) que deixa a garganta arranhada, com pus. Provoca também febre e dor de ouvido. O causador geralmente é uma bactéria, um vírus ou uma infecção em outro lugar do corpo, como o nariz. Dali ela pode se espalhar para a faringe e, se evoluir, pode virar meningite. Como tratamento os médicos recomendam analgésicos, pastilhas para dor de garganta e antibióticos.

Gripe 
Muito contagiosa, é causada pelo vírus influenza, transmitido pelo ar por meio de gotículas de saliva. Ataca o nariz, a garganta e os pulmões. Se não se agravar, passa sozinha em alguns dias. Se não tratada corretamente, principalmente em idosos, no entanto, pode virar pneumonia ou meningite. Não existe remédio para curar a gripe, mas sim para aliviar seus sintomas: febre alta, dores musculares e nas articulações, calafrios, dores de cabeça e inflamação dos olhos. Nesses casos, analgésicos, antitérmicos, descongestionantes e vitamina C são indicados. A vacina é a melhor prevenção, e deve ser tomada todos os anos.

Laringite 
Surge quando ocorre uma inflamação na laringe, onde estão as cordas vocais, que não causa dor, mas provoca tosse seca e rouquidão. Pode aparecer sozinha ou ser um sintoma decorrente de uma bronquite ou pneumonia. Vírus, bactérias e bebidas muito geladas também provocam laringite. Não se deve fumar, ingerir bebidas geladas e gritar. Repouso e antibióticos são indicados. Clique aqui e conheça as cirurgias na laringe.

Meningite 
Muito temida e gravíssima, a meningite é a inflamação das leptomeninges, membranas que cobrem a medula espinhal e o cérebro. Pode ser causada por vírus ou bactérias, fungos ou parasitas ou até por uma gripe mal tratada. Febre alta, pescoço enrijecido, enjôos e dores de cabeça são os sintomas mais comuns dessa doença que exige acompanhamento médico permanente. Se não tratada adequadamente, causa seqüela cerebral e morte. Hospitalização e antibióticos são recomendados pelos médicos.

Otite 
É a famosa dor de ouvido, causada por uma infecção bacteriana, muito comum em crianças. Em geral acontece por causa da migração de vírus e bactérias que infectam a garganta e se multiplicam devido a secreções no local.

Pneumonia 
Infecção que pode acometer todo o pulmão ou parte dele, deixando os alvéolos pulmonares cheios de pus e de líquidos, o que impede a respiração correta. Em geral, é conseqüência de infecções respiratórias, bronquites, resfriados e gripes, causadas por vírus e/ou bactérias e fungos. Há diversos tipos de pneumonia e algumas podem piorar rapidamente exigindo hospitalização. Febre alta, tosse com escarro, dor no peito e calafrios podem ocorrer e os sintomas são mais fortes dependendo da área dos pulmões afetada. Antibióticos, inalação, não fumar, evitar ambientes fechados e descansar são as recomendações.

Resfriado 
É uma infecção leve no nariz e na garganta que tende a passar sozinha. O nariz escorre, há febre baixa e espirros. Alergias, vírus ou bactérias podem causar resfriados.

Rinite
Não-contagiosa, é uma inflamação no nariz, que aparece de tempos em tempos devido a alguma alergia. Coriza, coceira no nariz, olhos e febre baixa são os sintomas. Reação alérgica a pó, cigarro e reações a medicamentos causam rinite. Mofo, fumaça, tinta fresca pioram os sintomas. Antialérgicos, descongestionantes, analgésicos e antitérmicos são usados no tratamento.

Sinusite 
A sinusite é uma inflamação não-contagiosa que ataca a parte interna dos seios da face e deixa o nariz congestionado, provoca dor de cabeça, tontura, febre, inchaço nas pálpebras e mal-estar. Descongestionantes, analgésicos, antitérmicos e antibióticos minimizam o problema. Clique aqui e leia sobre a cirurgia endoscópica dos seios paranasais.

Fonte: Terra

Leia mais...

5 dicas sobre disfagia na infância

disfalgia_na_infancia

1. O cardápio da criança que tem dificuldades para se alimentar deve ser elaborado tendo em vista as dificuldades dela. É essencial consultar um fonoaudiólogo. Oferecer qualquer alimento de consistência não recomendável pode fazer com que ele seja aspirado para o pulmão.

2. É essencial mastigar os alimentos várias vezes e de forma devagar. Quanto mais triturados eles estiverem, mais fácil será para a criança controlá-los na boca.

3. Não permita que o seu filho coma deitado — a menos que essa medida tenha sido prescrita como estratégia de tratamento.

4. Durante as refeições, peça que a criança apoie os braços na mesa e erga a cabeça e o tronco para ingerir.

5. Caso a criança perca peso ou tenha diminuição muscular, procure uma nutricionista. Pode ser que ela precise de suplementos alimentares.

A videoendoscopia da deglutição representa uma importante alternativa diagnóstica nos casos de disfagia (dificuldade para se alimentar).  Clique aqui e saiba mais.

Leia mais...

Como é produzida a voz?

canto

A voz é produzida na laringe através da vibração das pregas vocais, também conhecidas como cordas vocais, que realizam seu movimento com o fluxo de ar que vem dos pulmões e com a ação dos músculos da laringe. De início, o som é baixo e fraco, sendo ampliado pelas cavidades de ressonância, que são a faringe, a boca e o nariz. Após a amplificação, o som será articulado na cavidade oral por meio dos lábios, bochechas, língua, palato e mandíbula.

A falta de conhecimento da importância de certos cuidados básicos para preservar a voz pode ter como consequência o aparecimento de algumas doenças laríngeas como: edemas, nódulos, pólipos, entre outras.

Fonte: senado.gov.br

Leia mais...

Hábitos prejudiciais à voz

voz

Alguns hábitos e costumes adquiridos ao longo do tempo podem ser prejudiciais à voz, tais como:

– Gritar ou falar durante muito tempo.
– Cuidado com as mudanças de temperatura ambiental e com locais com ar condicionado, pois o resfriamento resseca o trato vocal.
– Evite o choque térmico com bebidas geladas, estas causam edema e muco nas cordas vocais.
– Evite bebidas alcoólicas, sprays, pastilhas e drops, estes atuam como anestésicos melhorando a voz aparentemente.
– Não pigarrear ou tossir, pois este hábito promove atrito entre as cordas vocais. Procure engolir saliva ou beber água.
– Evitar exposição à poeira, gás e cheiros muito fortes.
– Evitar o fumo, pois irrita a mucosa do aparelho fonador, especialmente as cordas vocais.
– Comer alimentos muito temperados e condimentados causa irritação nas cordas vocais.
– Evite comer alimentos achocolatados e derivados do leite, principalmente antes do uso profissional da voz, pois estes aumentam a secreção no trato vocal.

Caso você esteja com uma rouquidão ou qualquer outro incômodo por mais de 15 dias, procure um otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo.

A prevenção continua sendo a melhor opção. Cuide da sua voz, afinal, ela faz parte da sua identidade.

Fonte: senado.gov.br

Leia mais...