Ouvido

Água oxigenada no ouvido ajuda a combater gripe e otite?

Dicas e tratamentos caseiros são muito comuns na internet, e muitas acabam fazendo uso de produtos e medicamentos de forma inadequada e contraindicada.

A prática não é nova e há quem já tenha ouvido falar dessa técnica por meio de relatos dos avós ou familiares. Pingar qualquer coisa no ouvido, especialmente água oxigenada, no entanto, não é recomendado pelos especialistas otorrinolaringologistas por dois motivos principais:

  1. Não há evidências científicas (comprovadas via pesquisas) que demonstrem que a água oxigenada no ouvido ajudaria na prevenção de infecções ou trouxesse qualquer benefício à saúde do paciente.
  2. Há riscos envolvidos na prática, especialmente se a pessoa tiver uma infecção no ouvido ou o tímpano perfurado – o que nem sempre o paciente sabe que está.

A água oxigenada, solução feita à base de peróxido de hidrogênio, é usada para limpar ferimentos da pele e cicatrizes cirúrgicas. Como tem função desinfetante, pode eliminar vírus e bactérias que causam infecções locais — esse uso é bem estabelecido pela medicina. A questão é que não há indícios de que ela consiga atravessar a derme para, assim, agir no nosso organismo.

Para combater a doença, as medidas preconizadas são apostar em remédios virais (quando necessário) ou caprichar na hidratação e no repouso, combinação geralmente utilizada.

E gargarejo com água oxigenada, pode?

Para casos de dor de garganta, essa é outra sugestão de Bela em seu perfil. “Até pode, pois ela realmente é eficaz contra certos germes, mas sempre diluída em água e na versão dez volumes.

Posso usar água oxigenada para limpar a cera nos ouvidos?

Uma das principais indicações de pessoas leigas para o uso da água oxigenada no ouvido está na retirada da cera, vista como sujeira. Isso, porém, é um mito.

Para resumir, sempre entre em contato com o seu Otorrinolaringologista para seguir a recomendação adequada para o seu caso, seja otite, excesso de cera e outros problemas no ouvido e garganta.

Leia mais...

Sensação de ouvido entupido: o que pode ser e como tratar

A sensação de ouvido entupido é relativamente comum, especialmente quando se está praticando mergulho, voando em um avião ou até subindo de carro numa montanha. Nessas situações, a sensação desaparece ao fim de alguns minutos e geralmente não indica qualquer problema no ouvido.

No entanto, quando o ouvido entupido surge sem razão aparente ou é acompanhado de outros sintomas como dor, coceira intensa, vertigens ou febre, pode indicar uma infecção ou outro problema que precisa ser avaliado por um otorrinolaringologista, de forma a iniciar o tratamento mais adequado.

O que causa essa sensação?

1. Infecção do ouvido

A infecção do ouvido, também conhecida como otite, é uma das causas mais comuns da sensação de ouvido tampado. Isso acontece porque, durante uma infecção, o canal auditivo fica inflamado, dificultando a passagem dos sons até ao ouvido interno e causando a sensação de ouvido entupido.

Os sintomas mais comuns de uma infecção no ouvido, além da sensação de ouvido entupido, incluem febre baixa, vermelhidão na orelha, coceira e até pode acontecer de existir a saída de líquido pelo ouvido. Embora seja mais comum em crianças, a infecção do ouvido pode acontecer em qualquer idade.

O melhor é consultar o otorrinolaringologista para iniciar o tratamento com sprays para diminuir a inflamação e aliviar o desconforto. Além disso, é importante avaliar se a infecção está sendo causada por bactérias, sendo, nesses casos, importante começar o tratamento com um antibiótico.

2. Cera

Esta é outra das causas mais comuns para a sensação de ouvido tampado e acontece porque realmente o ouvido fica entupido com cera. Embora a cera seja uma substância saudável, produzida pelo corpo para eliminar sujeira do canal auditivo, pode acabar se acumulando em excesso, causando dificuldade para ouvir.

O excesso de cera pode afetar qualquer pessoa, mas é mais comum em que utiliza frequentemente cotonetes para limpar o ouvido, já que o cotonete em vez de retirar a cera, a empurra para uma parte mais profunda do canal auditivo, compactando-a e impossibilitando a passagem do som.

Nesses casos, para limpar o acúmulo de cera é aconselhado ir no otorrino para fazer uma limpeza adequada e, a partir daí evitar o uso de cotonetes.

3. Labirintite

Embora seja mais raro, a labirintite também é um problema relativamente comum do ouvido, no qual a pessoa sente uma intensas tonturas, além do ouvido tampado. É ainda frequente que pessoas com labirintite refiram a presença de zumbido, perda de equilíbrio e a diminuição temporária da audição.

A labirintite geralmente não tem cura, podendo surgir por crises ao longo dos anos. No entanto, o tratamento com remédios indicados pelo otorrino podem ajudar a aliviar os sintomas, melhorando a qualidade de vida.

O diagnóstico da labirintite deve-se consultar o otorrinolaringologista para identificar a causa da labirintite e iniciar o uso de medicamentos que possam aliviar os sintomas, especialmente durante as crises de labirintite.

4. Colesteatoma

O colesteatoma é um problema menos comum do ouvido, mas que pode surgir em pessoas que têm infecções muito recorrentes. Nesta situação, o canal auditivo acaba apresentando um crescimento anormal de pele no seu interior, que acaba resultando em um pequeno cisto que dificulta a passagem do som, causando a sensação de ouvido tampado.

Tratamento: na maioria das vezes o otorrino pode aconselhar o uso de gotas para aliviar os sintomas, mas também pode ser necessário fazer uma pequena cirurgia para retirar o cisto e acabar de vez com os sintomas.

5. Síndrome de Ménière

Esta é uma doença relativamente rara que afeta o ouvido interno e causa sintomas como ouvido entupido, perda de audição, tonturas e zumbido constante. Esta síndrome ainda não tem uma causa específica, mas parece afetar mais frequentemente pessoas entre os 20 e os 50 anos.

Por não ter uma causa específica, esta síndrome não tem cura, mas pode ser tratada com remédios indicados pelo otorrino que ajudam a diminuir os sintomas durante o dia-a-dia, especialmente as tonturas e a sensação de ouvido entupido.

Fonte: Tua Saúde

Leia mais...

Fone de ouvido e perda auditiva

Os fones de ouvido fazem parte do dia a dia de muitas pessoas, principalmente dos mais jovens. Porém, esse artefato tão querido por muitos pode sim, prejudicar a sua saúde auditiva. Utilizar os fones de ouvido com muita frequência e no volume máximo pode causar danos irreversíveis na audição, pois você está expondo seus ouvidos diretamente no ruído.

Como os fones de ouvido podem causar a perda de audição?

Quando as ondas sonoras chegam aos nossos ouvidos, elas fazem com que o tímpano vibre. Essa vibração é transmitida ao ouvido interno até atingir a cóclea. A cóclea contém milhares de pequenos “pelos”, que são as chamadas células ciliadas. Quando as vibrações sonoras atingem a cóclea, essas células se movem.

Sons mais altos provocam vibrações mais fortes, fazendo com que as células ciliadas se movam mais. Em alguns casos, as células podem se curvar muito por conta do barulho alto. Isso causa a sensação de perda auditiva temporária e, depois de algum tempo, as células ciliadas se recuperam do ruído intenso e voltam a se mover.

Quais os sintomas da perda auditiva?

Os tipos de sintomas podem diferenciar com base em sua perspectiva, ou seja, se você estiver verificando em você ou alguém próximo. Faça nosso teste de audição para reconhecer os sintomas da perda auditiva em alguém ou em você.

Esses são alguns pontos que você deve levar em consideração ao suspeitar de perda auditiva:

  • Pedir aos outros para se repetirem
  • Amigos ou familiares que dizem que você não ouve bem
  • Deixar a TV ou o rádio em volume mais alto do que os outros
  • Dificuldade em entender conversas com ruídos ao fundo
  • Dificuldades em acompanhar conversas em grupo
  • Dificuldade em identificar de onde os sons estão vindo

Por isso, use seus fones de ouvido com sabedoria para evitar a perda de audição. Mantenha o volume razoável, tente diminuir o tempo que você utiliza o acessório e jamais durma com os fones de ouvido. Uma boa alternativa é utilizar fomes com abafador de ruído, afinal, eles reduzem o ruído externo sem a necessidade de você aumentar o volume do som.

Leia mais...

Como tratar a tontura?

A tontura é um termo usado para descrever uma variedade de sintomas, como vertigem, desequilíbrio, perturbação da orientação especial e sensação de movimento. Normalmente, ela está associada a alguma alteração no organismo, mas nem sempre indica uma doença grave ou condição perigosa.

O que fazer em casos de tontura?

O tratamento da tontura irá depender diretamente da causa do sintoma. Por conta disso, ao perceber a frequência dos episódios, é necessário marcar um otorrinolaringologista.

A tontura pode ser um sintoma de labirintite ou perda de equilíbrio e para cada diagnóstico há um tratamento adequado. Veja:

 

Labirintite ou vertigem

 

O tratamento da vertigem ou labirintite é feito pelo otorrino, que pode prescrever o uso de medicamentos, além de terapias alternativas. Também recomenda-se evitar o estresse, o consumo de cafeína, cigarro, álcool e drogas. A vertigem também pode ser causada por infecções de ouvido ou doença de Meniére. Nestes casos, é preciso ter um acompanhamento médico.

Perda de equilíbrio

Bastante comum em pessoas idosas, a perda de equilíbrio ocorre por disfunções no ouvido interno. Nesses casos, os tratamentos podem ser variados e práticas mais saudáveis podem ajudar bastante a diminuir a tontura.

Telemedicina já ativo na Otocenter. Entre em contato pelo WhatsApp para agendar uma consulta online.

Leia mais...

Pare de cutucar o seu ouvido!

Cotonete, tampa de caneta, ponta de lápis e outros objetos acabam sendo usados para aliviar aquela coceirinha desconfortável no ouvido. Mas você sabia que esse hábito pode causar problemas sérios à saúde? As consequências vão desde sensação de ouvido tampado, causada pela cera empurrada para dentro do canal auditivo, até infecções e perfuração do tímpano!

 

O cerume é uma secreção que existe na pele do canal auditivo e serve, de forma protetora, para isolar esta pele da umidade e de outros agentes. A falta de cautela ao limpar o ouvido pode levar a consequências que muitas vezes só podem ser revertidas com a ajuda de um profissional. Colocar o cotonete dentro do ouvido pode empurrar o cerume de volta e até furar o tímpano. A membrana timpânica é muito fina e fura com facilidade, por isso o ideal é limpar o ouvido após o banho, só na região externa da orelha.

 

Em alguns casos, quando há a sensação de que o ouvido fechou, está abafado, dolorido ou com secreção por causa do acúmulo de cerume, é essencial procurar um otorrinolaringologista para que ele possa fazer uma limpeza e aconselhar melhor o paciente.

 

Telemedicina já ativo na Otocenter. Entre em contato pelo WhatsApp para agendar uma consulta online.

Fonte: Exame Abril

Leia mais...