Otorrinopediatra

Meu filho enfiou um objeto no ouvido, e agora?

Não é incomum ouvirmos histórias de crianças que colocaram objetos no nariz, no ouvido ou na boca. E a gente sabe o quanto isso pode ser preocupante. A principal recomendação é não tentar a remoção em casa, pois é bem frequente lesionar o local ou empurrar o corpo estranho ainda mais profundamente.

O melhor a fazer é procurar imediatamente um serviço médico, como o da Otocenter. Neste conteúdo, vamos explicar bem o que deve ser feito em casos como esse. Continue lendo!

Como saber se meu filho colocou algo no ouvido?

Podem surgir dor, secreção no ouvido e sangramento. Além disso, a criança pode reclamar que não está ouvindo bem, ou está ouvido um barulho estranho.

Esse acidente é grave?

Pode haver complicações porque o canal auditivo externo é estreito na criança, e o objeto pode estar próximo ao tímpano. É  importante saber que isso pode levar a perfuração do tímpano e perda de audição. Ainda mais porque muitas vezes a criança esconde o fato por medo de ser repreendida, atrasando e complicando o tratamento.

O que fazer assim que descobrir?

Antes de tudo, muito importante: ao perceber que a criança colocou algo, seja na orelha ou no nariz, não tente tirar o objeto com os dedos, pinça ou cotonete, isso pode empurrá-lo ainda mais fundo.

Já no ouvido, as consequências mais graves podem ser infecção, perfuração da membrana timpânica e surdez. Apesar do número de ocorrências ser bem pequeno, o problema agravado pode ocasionar até morte. Então, nos dois casos, o certo é ir para o hospital e consultar um otorrinolaringologista!⠀

Leia mais...

Pra que serve o exame de nasofibroscopia?

Você conhece o exame de Nasofibroscopia? Popularmente conhecida como Endoscopia de Nariz, esse é um dos exames mais completos para análise das estruturas internas do nariz e da garganta.

A nasofibroscopia é um exame de diagnóstico que permite avaliar a cavidade nasal, até à laringe, através da utilização de um aparelho chamado de nasofibroscópio, que possui uma câmera que permite visualizar o interior do nariz e as estruturas dessa região, e registar as imagens num computador.

Este exame está indicado para auxiliar no diagnóstico de alterações da cavidade nasal, como desvios no septo nasal, sinusite, tumores nasais, entre outros, já que permite identificar estruturas anatômicas com precisão e visualizar a cavidade nasal com um ângulo de visão e iluminação adequada.

É essencial para diagnosticar inúmeras alterações ou doenças das vias aéreas superiores, como:

  • Rinite e sinusite;
  • Desvio de septo;
  • Pólipos Nasais
  • Aumento da adenoide;
  • Sangramentos nasais;
  • Distúrbios do olfato e paladar.

E você? Já realizou esse exame? Entre em contato e saiba mais detalhes:  (81) 3039-5005 | (81) 9.8266-8142 (WhatsApp)

Leia mais...

Nem toda tontura é sinal de Labirintite

Você sabia que nem toda tontura é sinal de labirintite? Tontura, vertigem, náuseas e vômito são sintomas muitas vezes confundidos com labirintite. Porém, nem toda alteração de equilíbrio do corpo pode ser a doença.

E o que é Labirintite?

A Labirintite é a inflamação do labirinto, localizada na estrutura interna do ouvido que auxilia a audição e o equilíbrio do corpo. Não pode ser curada com apenas repouso.
Em caso de sintomas, é importante procurar um otorrinolaringologista para que possa ser diagnosticado. Quando diagnosticado, pouquíssimos casos podem ser considerados incuráveis. O tratamento é feito através de medicamentos, readequação dos hábitos e se estiver incontrolável existe cirurgia para a cura. A tontura pode simplesmente significar outros problemas como: metabólicos, hormonais, cardiovasculares e até psicológicos.

Quando a tontura não é labirintite?

A maioria das pessoas que sente tontura tem alguma doença do labirinto, mas não a labirintite. A tontura deve sempre ser investigada, pois pode ser um indício de alguma doença do labirinto e também indicar a presença de outras enfermidades, como diabetes, pressão alta ou baixa, anemia, problemas vasculares, neurológicos e cardíacos. Quanto mais cedo procurar um especialista, maiores as chances de recuperação.

Leia mais...

Otite podem levar à perda auditiva?

A otite de repetição é uma inflamação na orelha média ou externa que causa desde sintomas mais leves, como dores agudas e coceira, até sintomas mais intensos, como febre e perda temporária da audição! Fatores como umidade excessiva, no caso dos nadadores, o frágil sistema imunológico e a posição da tuba auditiva em bebês e crianças, favorecem o desenvolvimento da otite externa e média, respectivamente.⠀

Crianças com atraso na fala, troca de letras e dificuldade no aprendizado escolar devem sempre ser avaliadas do ponto de vista auditivo, e muitas vezes a causa são as otites de repetição.

Relação da otite com a perda auditiva

otite pode levar a perda auditiva? Essa é uma das dúvidas mais frequentes em relação a doença e a resposta é sim! Sem tratamento, pode ocorrer acúmulo de secreção no ouvido, imobilização dos ossículos ou rompimento do tímpano.

Caso chegue a esse ponto, o uso de um aparelho auditivo aparece como opção para recuperar a qualidade de vida e bem-estar do paciente. Neste caso, é importante procurar um especialista para auxiliar na adaptação e escolha do aparelho auditivo certo.

Leia mais...

Quando o sangramento nasal pode acontecer?

O nariz é muito vascularizado. Por isso, algumas situações podem favorecer o sangramento.

O sangramento nasal, é uma manifestação relativamente comum e que atinge pessoas de qualquer idade. A estimativa é de que mais da metade da população adulta já tenha passado por pelo menos um episódio de hemorragia ao longo da vida, o que pode estar associado a diferentes fatores.

Embora cause um grande desconforto, o sangramento nasal não costuma representar gravidade e muitas vezes pode ser resolvido de maneira simples, sem a necessidade de intervenção médica. Este geralmente é um problema autolimitado, em que o sangramento cessa sozinho após um tempo, mas existem casos em que pode ser necessária a realização de um procedimento.

Quais são as causas do sangramento nasal?

O nariz sangra quando há rompimento dos vasos sanguíneos ou irritação do seu revestimento interno, duas situações que podem ocorrer por diversos motivos. As causas mais comuns de sangramento nasal são o ressecamento associado ao tempo seco e traumas como assoar ou cutucar o nariz com muita força. Alergias, desvio de septo, sinusite, uso frequente de sprays nasais ou drogas aspiráveis também podem levar à hemorragia.

Existem, ainda, alguns fatores menos comuns que podem causar sangramento do nariz. São eles:

  • Distúrbios hemorrágicos;
  • Tumores no nariz ou na região dos seios paranasais;
  • Infecções nasais;
  • Presença de objetos estranhos no nariz.

Lembrando que nesses casos, os sangramentos costumam ser pequenos (normalmente se resolvem espontaneamente), melhorando em até aproximadamente 10 minutos. Para ajudar, você pode comprimir as narinas, abaixar levemente o rosto e colocar gelo no dorso nasal.

Caso não melhore, não deixe de procurar um Otorrinolaringologista com urgência. E se esse sangramento se repetir com frequência, não deixe de fazer uma consulta com um Otorrinolaringologista.

Leia mais...

Ausência de cera pode causar coceira no ouvido

A coceira no ouvido pode acontecer devido a várias causas que normalmente são fáceis de resolver, como secura do canal auditivo, produção insuficiente de cera ou uso de aparelhos auditivos. No entanto, em casos mais graves, a coceira pode ocorrer devido a psoríase ou infecção, podendo ser mais difíceis de tratar.

O tratamento depende da causa que está na origem da coceira e consiste em aplicar produtos que hidratem o local e acalmem a irritação, ou no caso de infecção pode ser necessário tomar ou aplicar gotas com um antibiótico ou antifúngico.

Por que a falta de cera causa coceira no ouvido?

A cera produzida no nosso ouvido tem propriedades lubrificantes que protegem a pele do nosso ouvido. Quando existe a ausência dessa cera, a pele pode ficar ressecada, podendo causar prurido (coceira). A limpeza dos ouvidos deve ser feita somente por fora (no pavilhão) e nunca dentro do conduto. Já aprendemos aqui que ela é muito importante para a nossa saúde auditiva.

Estou com coceira no ouvido, posso coçar?

Caso você sinta coceira no ouvido, não utilize objetos como cotonetes, grampos ou algum tipo de líquido não farmacêutico, pois eles poderão ferir a fina camada da membrana timpânica podendo acarretar até em seu rompimento. Se a coceira persistir e/ou vier acompanhada de secreções, não existe em procurar um especialista. Afinal, apenas ele poderá fornecer as orientações para o tratamento ideal.

Assim, caso você apresente quadros alérgicos ou de infecção, o uso de remédios prescritos pelos médicos serão os únicos responsáveis por aliviar a coceira.

Leia mais...

Perfurei o tímpano, e agora?

A perfuração de tímpano é um problema mais comum do que se imagina, sabia disso? O tímpano, também chamado de membrana timpânica, é uma fina película que separa o ouvido interno do externo. Ele é importante para a audição e quando encontra-se perfurado, a capacidade auditiva da pessoa diminui.

Como identificar que o tímpano está perfurado?

Um dos sintomas mais comuns é a dor associada a sensação de diminuição da audição, coceira no ouvido, e pode apresentar sangramento pelo ouvido. Normalmente uma perfuração pequena cura sozinha, mas nas maiores pode ser preciso usar antibióticos, e quando isso não é suficiente pode ser preciso cirurgia.

Outro problema causado pela perfuração é que, sem a membrana, a parte interna do ouvido fica desprotegida e mais sujeita à infecções.

Quando isso acontecer, o melhor é procurar imediatamente a ajuda de um otorrinolaringologista. Só ele pode identificar se seu tímpano realmente foi perfurado e indicar o melhor tratamento.

O que causa perfuração no tímpano?

A causa mais comum de perfuração no tímpano é a infecção de ouvido, também conhecida como otite média ou externa; mas isso também pode acontecer ao introduzir objetos no ouvido, o que afeta especialmente bebês e crianças; pelo uso indevido do cotonete, num acidente, explosão, mergulho no mar, ou durante uma viagem de avião, por exemplo.

O que fazer?

É indicado ir ao médico se suspeitar de que perfurou o tímpano, principalmente se estiver com secreção ou sangramento, e sempre que apresentar diminuição da audição ou surdez de um ouvido.

Leia mais...

Água oxigenada no ouvido ajuda a combater gripe e otite?

Dicas e tratamentos caseiros são muito comuns na internet, e muitas acabam fazendo uso de produtos e medicamentos de forma inadequada e contraindicada.

A prática não é nova e há quem já tenha ouvido falar dessa técnica por meio de relatos dos avós ou familiares. Pingar qualquer coisa no ouvido, especialmente água oxigenada, no entanto, não é recomendado pelos especialistas otorrinolaringologistas por dois motivos principais:

  1. Não há evidências científicas (comprovadas via pesquisas) que demonstrem que a água oxigenada no ouvido ajudaria na prevenção de infecções ou trouxesse qualquer benefício à saúde do paciente.
  2. Há riscos envolvidos na prática, especialmente se a pessoa tiver uma infecção no ouvido ou o tímpano perfurado – o que nem sempre o paciente sabe que está.

A água oxigenada, solução feita à base de peróxido de hidrogênio, é usada para limpar ferimentos da pele e cicatrizes cirúrgicas. Como tem função desinfetante, pode eliminar vírus e bactérias que causam infecções locais — esse uso é bem estabelecido pela medicina. A questão é que não há indícios de que ela consiga atravessar a derme para, assim, agir no nosso organismo.

Para combater a doença, as medidas preconizadas são apostar em remédios virais (quando necessário) ou caprichar na hidratação e no repouso, combinação geralmente utilizada.

E gargarejo com água oxigenada, pode?

Para casos de dor de garganta, essa é outra sugestão de Bela em seu perfil. “Até pode, pois ela realmente é eficaz contra certos germes, mas sempre diluída em água e na versão dez volumes.

Posso usar água oxigenada para limpar a cera nos ouvidos?

Uma das principais indicações de pessoas leigas para o uso da água oxigenada no ouvido está na retirada da cera, vista como sujeira. Isso, porém, é um mito.

Para resumir, sempre entre em contato com o seu Otorrinolaringologista para seguir a recomendação adequada para o seu caso, seja otite, excesso de cera e outros problemas no ouvido e garganta.

Leia mais...

otorrinopediatra: qual a sua importância?

O otorrinopediatra é o profissional indispensável durante a infância e adolescência (momento em que as doenças de ouvido, nariz e garganta são bastante comuns). Descobrir o que acontece com as crianças nem sempre é fácil. E, diferente do que muitos pensam, a criança não é um “adulto pequeno”. Os pequenos possuem um funcionamento corporal peculiar em relação aos mais velhos.

Por que é importante levar a criança ao otorrino?

Esse é o profissional indicado para identificar, por exemplo, malformações congênitas, que exigem o cuidado adequado e precoce para proporcionar aos pequenos bem-estar e melhor qualidade de vida.

As infecções que afetam as crianças, principalmente durante o período escolar, e problemas como distúrbios de deglutição e perda auditiva também são tratados pelo especialista.

O otorrino para criança é de fundamental importância por atuar justamente na cura de doenças que podem comprometer o desenvolvimento do paciente, especialmente aquelas relacionadas à fala e à audição, que precisam de uma intervenção precoce.

Determinadas infecções, quando não são devidamente tratadas, podem voltar a aparecer por causa da resistência bacteriana, o que vai resultar em incômodo e exigir tratamento mais complexo ou até mesmo a cirurgia.

Além disso, doenças no ouvido, na garganta ou no nariz prejudicam a interação social e o aprendizado das crianças na escola. Em alguns casos, elas são a causa da dislexia. Logo, se não detectadas e tratadas o quanto antes, podem afetar a autoestima e a saúde mental.

5 motivos para levar o seu filho ao otorrinopediatra:

  1. Alteração da voz ou da fala: rouquidão, atrasos da fala ou alteração na pronúncia de fonemas. Podendo ocorrer por atraso na aquisição da linguagem.
  2.  Obstrução nasal, respiração bucal e roncos: crianças que têm nariz trancado respiram pela boca, na maioria das vezes, por um motivo de obstrução na via aérea superior (como o aumento da adenoide e das amígdalas).
  3. Alergia e Infecções de repetição: crianças alérgicas ou que têm otites, faringites e sinusites de repetição têm maior suscetibilidade de complicações na infância.
  4. Suspeita de perda auditiva: quando a criança pede para repetir o que lhe foi falado ou quando repete errado aquilo que lhe falaram.
  5. Massas cervicais: aumento de volume no pescoço por linfonodos (ínguas), nódulos ou cistos devem ser sempre avaliados.

Com a prevenção, cuidado e o diagnóstico correto do otorrinopediatra, é possível garantir o desenvolvimento saudável e qualidade de vida para os pequenos.

Já realizou o seu Check-up Otorrino? Entre em contato com a equipe Otocenter Recife para cuidar da sua saúde.

Leia mais...