Blog

Como tratar a tontura?

A tontura é um termo usado para descrever uma variedade de sintomas, como vertigem, desequilíbrio, perturbação da orientação especial e sensação de movimento. Normalmente, ela está associada a alguma alteração no organismo, mas nem sempre indica uma doença grave ou condição perigosa.

O que fazer em casos de tontura?

O tratamento da tontura irá depender diretamente da causa do sintoma. Por conta disso, ao perceber a frequência dos episódios, é necessário marcar um otorrinolaringologista.

A tontura pode ser um sintoma de labirintite ou perda de equilíbrio e para cada diagnóstico há um tratamento adequado. Veja:

 

Labirintite ou vertigem

 

O tratamento da vertigem ou labirintite é feito pelo otorrino, que pode prescrever o uso de medicamentos, além de terapias alternativas. Também recomenda-se evitar o estresse, o consumo de cafeína, cigarro, álcool e drogas. A vertigem também pode ser causada por infecções de ouvido ou doença de Meniére. Nestes casos, é preciso ter um acompanhamento médico.

Perda de equilíbrio

Bastante comum em pessoas idosas, a perda de equilíbrio ocorre por disfunções no ouvido interno. Nesses casos, os tratamentos podem ser variados e práticas mais saudáveis podem ajudar bastante a diminuir a tontura.

Telemedicina já ativo na Otocenter. Entre em contato pelo WhatsApp para agendar uma consulta online.

Leia mais...

Pare de cutucar o seu ouvido!

Cotonete, tampa de caneta, ponta de lápis e outros objetos acabam sendo usados para aliviar aquela coceirinha desconfortável no ouvido. Mas você sabia que esse hábito pode causar problemas sérios à saúde? As consequências vão desde sensação de ouvido tampado, causada pela cera empurrada para dentro do canal auditivo, até infecções e perfuração do tímpano!

 

O cerume é uma secreção que existe na pele do canal auditivo e serve, de forma protetora, para isolar esta pele da umidade e de outros agentes. A falta de cautela ao limpar o ouvido pode levar a consequências que muitas vezes só podem ser revertidas com a ajuda de um profissional. Colocar o cotonete dentro do ouvido pode empurrar o cerume de volta e até furar o tímpano. A membrana timpânica é muito fina e fura com facilidade, por isso o ideal é limpar o ouvido após o banho, só na região externa da orelha.

 

Em alguns casos, quando há a sensação de que o ouvido fechou, está abafado, dolorido ou com secreção por causa do acúmulo de cerume, é essencial procurar um otorrinolaringologista para que ele possa fazer uma limpeza e aconselhar melhor o paciente.

 

Telemedicina já ativo na Otocenter. Entre em contato pelo WhatsApp para agendar uma consulta online.

Fonte: Exame Abril

Leia mais...

Coronavírus: quem tem rinite não faz parte do grupo de risco

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) divulgou um comunicado à imprensa ressaltando que esse problema, por trás de crises de coriza e muita coceira no nariz, não aumenta o risco de complicações do coronavírus. A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) não cita essa enfermidade em seus documentos oficiais que abordam os grupos de risco da pandemia.

 

Para entender o porquê, precisamos antes compreender os efeitos do Sars-CoV-2 no corpo. A Covid-19 é uma doença infecciosa aguda, de caráter sistêmico. Isso significa que ela consegue afetar vários órgãos. O vírus penetra em células de diversos tecidos. O comprometimento do pulmão é uma das principais preocupações dos profissionais de saúde.

 

A rinite acomete apenas a mucosa nasal. Ou seja: ela não é sistêmica, nem abala os órgãos da respiração, uma inflamação bem localizada. O mesmo vale para sinusite, laringite e faringite. Além disso, a rinite não definha o sistema imunológico. Isso significa que as tropas de defesa de seus portadores seguem em forma para debelar infecções em geral, inclusive o coronavírus.

Leia mais...

Como uma boa noite de sono pode ajudar na sua imunidade

Enquanto dormimos, nosso organismo realiza ajustes essenciais para o bom funcionamento das nossas defesas naturais. O pouco tempo no colchão faz subir a liberação de cortisol, um hormônio relacionado ao estresse. Em excesso, essa substância diminui a reação de defesa do nosso corpo.

Segundo estudo da Universidade Carnegie Mellon, realizado com 153 pessoas saudáveis, foi possível constatar que quem dorme menos de 7 horas por noite está mais propenso a contrair resfriados e doenças relacionadas, devido à diminuição da imunidade. Quando a gente dorme menos ou dorme mal, nosso corpo acaba liberando o hormônio do estresse, o cortisol. E esse hormônio em excesso faz com que nosso sistema imunológico fique um pouco mais enfraquecido.

Diante do cenário de pandemia do novo Coronavírus, médicos em todo o mundo alertam sobre os cuidados que devem ser tomados em relação ao sono no período de quarentena. Por isso, priorizar os cuidados com o sono é fundamental. Manter o horário de ir para a cama e o horário de acordar, além de evitar exposição demasiada aos equipamentos eletrônicos.

Dicas para um sono perfeito:

1. Defina horários de sono;

2. Evite comer alimentos pesados pouco antes de dormir;

3. Não use celular ou outros dispositivos móveis momentos antes ao seu horário;

4. Crie um ambiente confortável e sem luz no seu quarto.

5. Alie sua nova rotina a alimentos ricos em vitaminas e água.

Agora, sim! Seu corpo e sua imunidade agradecem.
Telemedicina já ativo na Otocenter. Entre em contato pelo WhatsApp para agendar uma consulta online.

Leia mais...

O que é e como evitar o pigarro na garganta?

Pigarro constante é sinal de alerta. Entenda as causas desse incômodo e como evitá-lo.

Todos nós temos aquela sensação de pigarro na garganta, mesmo que seja momentâneo, e às vezes, mesmo limpando a garganta, a sensação não sai. Esse muco acumulado em geral, não é perigoso, pois, na maioria das vezes indica gripe e resfriados, quando há a congestão das vias nasais, e costuma desaparecer junto dessas doenças. Porém, quando o pigarro é constante e não está ligado a esses quadros, pode ser um sinal de condições mais graves.

Ela é formada em outra parte do corpo e acumula naquela região. Pode haver perigo se, ao fazer a solução de água e sal para diluir o muco, você acabar engolindo a mistura. Isso causa desidratação. Deve-se apenas fazer o gargarejo e depois cuspir.

A principal questão quando há o catarro preso na garganta é a definição das doenças que o causam, pois é a partir dela que se consegue fazer o tratamento. Os dois principais diagnósticos podem ser o refluxo gastroesofágico e a síndrome do gotejamento pós-nasal, representada por rinites e sinusites crônicas.

Como evitar o pigarro?

A eliminação do pigarro na garganta pode ser feita de diferentes maneiras, como por exemplo, uma mistura de água com meia colher de chá de sal para gargarejo. Neste caso, a água salgada ajuda a diluir o muco, ficando, assim, mais fácil se livrar dele.

Outras formas de tirar o catarro da garganta são assoar o nariz com regularidade e diminuir a ingestão de produtos lácteos e parar de fumar, pois ambos aumentam a produção de muco.

 

Fonte: Dr Consulta

Leia mais...

Sono ruim pode causar asma

Noites mal dormidas não causas apenas estresse e olheiras. Um artigo publicado no European Respiratory Journal, por exemplo, sugere que adultos com insônia crônica têm um risco até três vezes maior de desenvolver asma em comparação aos livres dessa encrenca. Com a pulga atrás da orelha por causa da alta incidência de insônia entre asmáticos, cientistas da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, em Trondheim, decidiram investigar se há uma relação entre as duas condições.

 

O estudo mostrou que pessoas com noites de sono complicadas apresentaram 108% de chance de desenvolver asma. A insônia também foi associada a uma redução específica de qualidade de vida relacionada com a asma. Os pacientes com asma e problemas para dormir tinham mais depressão e sintomas de ansiedade, segundo os pesquisadores.

 

Por isso tratar a insônia e outros distúrbios relacionados ao sono é tão importante para a respiração, a saúde mental e física.

 

Marque a sua consulta com quem cuida da sua saúde com a melhor estrutura, equipe médica e equipamentos.

 

Fonte: Saúde Abril

Leia mais...

5 consequências da apneia do sono

A apneia é caracterizada por interrupções temporárias na entrada de oxigênio durante o sono. Isso acontece porque os músculos da parte de trás da boca relaxam, bloqueando a garganta e a passagem de ar. Um de seus sinais mais comuns e barulhentos é o ronco.

Sendo uma doença bastante preocupante que pode atingir crianças, homens e mulheres em qualquer fase da vida, veja algumas consequências que a apneia do sono pode trazer:

  1. Aumento da pressão

O distúrbio provoca uma ativação exagerada do sistema nervoso autônomo, que controla o fluxo sanguíneo, perpetuando o problema cardiovascular.

  1. Prejudica os rins

A diminuição dos níveis de oxigênio, conhecida como hipóxia, está por trás do estresse oxidativo, aumenta a suscetibilidade de desordens nos rins.

  1. Pode causar pneumonia

Os primeiros segundos após o bloqueio da faringe são aflitivos. A respiração volta com tudo, junto com estrondos e engasgos. Isso abala a imunidade, facilitando uma possível pneumonia.

  1. Eleva o açúcar no sangue

A apneia do sono é capaz de alterar a ação da insulina, hormônio que permite à glicose entrar nas células.

  1. Prejudica o coração

Pessoas com o distúrbio possuem dificuldades para respirar durante a noite. O esforço para respirar causa uma forte pressão no peito e dificulta as batidas do coração.

 

Fonte: Saúde Abril

Leia mais...

Quais as principais causas da tosse seca?

tosse seca, ou seja, aquela que não produz secreção, normalmente é originada por uma reação alérgica. Este processo pode ter várias causas, tais como alergia à poeira, pelo de animais ou pólen de flores. Também é possível que a tosse seca seja originada por problemas cardíacos ou até refluxo gastroesofágico.

Geralmente a tosse seca está ligada a problemas irritativos ou alérgicos, enquanto as tosses que produzem secreção relacionam-se com alguma infecção. Além disso, a tosse seca pode ser causada por uma irritação na garganta causada pela inalação de fumaça ou cigarro. A água é um bom remédio natural que pode ajudar no tratamento da tosse seca, pois ela irá manter a garganta hidratada, acalmando a tosse.

Veja as principais causas desse incômodo:

  1. Gripe ou resfriado

Gripes, resfriados e alergias são os motivos mais comuns da tosse seca persistente, pois pode ser uma tentativa de expulsar os vírus, fungos e partículas de poeira, fuligem ou outro material alérgico que estiver atacando as vias respiratórias.

  1. Tabagismo

Pessoas que fumam têm mais chances de apresentar tosse seca. O calor da fumaça aspirada e as substâncias químicas presentes no tabaco provocam uma irritação constante das vias aéreas.

  1. Alergias

Alergias a poeira e pelos, também podem causar uma tosse prolongada, caso você esteja exposto a esse tipo de ambiente frequentemente, pois tende a fechar e a secar a garganta. Essa tosse também vem acompanhada de espirros e coriza constante.

  1. Pneumonia

A pneumonia é uma infecção pulmonar causada por vírus, bactérias ou fungos, que pode acometer os sacos alveolares, brônquios e outras estruturas do pulmão. Ela é uma causa para tosses de curta duração. No entanto, alguns casos podem cursar com tosse prolongada, o que pode representar não controle da infecção.

Você deve consultar um médico se o sintoma persistir por mais de 10 dias e estiver acompanhado de outros sintomas como febre e cansaço.

 

Fonte: Dr. Consulta

Leia mais...

Como evitar nódulos nas cordas vocais?

Os nódulos nas cordas vocais, assim como outros problemas nesta região, como pólipos ou laringite, surgem na maioria das vezes devido ao uso indevido da voz, por falta de aquecimento ou por uso excessivo das cordas vocais.

 

Dessa forma, saber como cuidar das cordas vocais é muito importante para evitar alterações da voz, dificuldade para cantar ou até rouquidão crônica. Continue lendo este post para saber como tratar suas cordas vocais para evitar nódulos:

 

  1. Beber água

 

Essa primeira forma de prevenção parece óbvia, mas na verdade muitas pessoas não ingerem a quantidade necessária para se manter hidratado. O recomendado é beber em média de 6 a 8 copos por dia. A água ajuda a hidratar as cordas vocais, tornando-as mais elásticas e evitando que possam sofrer lesões facilmente.

 

  1. Evitar café, cigarro e bebidas alcoólicas

 

O uso de cigarro seja direto, ou por respiração da fumaça de alguém que está fumando, causa uma ligeira irritação do tecido que reveste as cordas vocais o que pode resultar em inflamação e desenvolvimento de um calo ou pólipo nas cordas vocais.

 

Já o café e as bebidas alcoólicas são substâncias que, além de poderem causar irritação, também levam o corpo a perder mais água o que acaba ressecando as cordas vocais e a laringe, aumentando o risco de lesões.

 

 

  1. Evitar esforçar as cordas falando por muitas horas seguidas

 

 

Já ficou rouco após uma festa, um show, ou apenas por ter feito uma apresentação longa e importante, tendo que falar por muito tempo? Esses esforços acabam danificando as cordas vocais, sendo uma das formas mais simples de colocar pressão sobre as cordas vocais e, assim, resultar em uma lesão. Por isso, o melhor é preferir sempre falar em um local calmo e sempre por períodos inferiores a 30 minutos, fazendo pausas de pelo menos 5 minutos, sempre que possível.

Em casos de rouquidão prolongada, garganta inflamada e desconforto excessivo nas cordas vocais, procure um otorrinolaringologista.

Leia mais...

Máscaras cirúrgicas realmente nos protegem?

 

Com o surto do coronavírus agora sendo considerado uma pandemia pela OMS, se espalhando por todo o mundo – e deixando todos em alerta – as buscas por métodos preventivos cresceram exponencialmente. Com dezenas de países com casos da doença, também, fica o questionamento: as máscaras realmente são necessárias e eficazes? Ou é apenas exagero?

 

De uma maneira geral, o uso de máscaras para prevenir infecções e problemas pulmonares pode ser positivo. Recentemente no estado de Minas Gerais, fortes chuvas causaram alagamento e motivaram o desalojamento de diversas famílias, tiveram funcionários municipais utilizando máscaras contra a poluição e o aumento de partículas de poeira em decorrência do solo enlameado.

 

Ok, pulmões protegidos! Casos de alergias e exposição a ambientes que prejudicam a respiração e os pulmões pedem proteção com o uso de máscaras.

 

Mas, quando os problemas envolvem doenças infecciosas e epidemias, o uso de máscaras cirúrgicas só é recomendado para indivíduos que já estão doentes e não devem transmitir infeções para outras pessoas.

 

Então, talvez seja um exagero e até a falta de informação da população quanto a prevenção de infecções e epidemias, como no caso do coronavírus. O ideal é ter hábitos de higiene mais rigorosos e cuidar da imunidade para evitar qualquer infecção, mesmo que uma simples gripe, pelo menos no momento.

Leia mais...