Blog

Crianças que roncam: Quais as causas?

É comum que muitos adultos que hoje sofrem problemas de rono e apneia tenham começado com os sinais desde criança inclusive desde o primeiro mês de vida. Por isso, se o seu bebê é pequeno e começou a roncar, é importante que escute seus roncos, observe suas frequências e esteja atento a outros sintomas. Continue lendo para entender as causas deste problema e ver as possíveis soluções.

O ronco é sinal de alguma dificuldade respiratória, normalmente das vias aéreas superiores (nariz ou garganta). Esse ruído é ocasionado pela dificuldade da passagem de ar através das estruturas que compõem a via respiratória. Os roncos podem estar relacionados com uma obstrução das vias respiratórias.

O ronco pode ser ocasionado por um excesso de peso, o que faz com que o tecido excessivo do pescoço pressione as vias respiratórias. Podem estar relacionados aos resfriados, ou casos de alergias crônicas e também por uma inflamação das amídalas que provoca a obstrução das vias respiratórias.

O uso de anti-histamínicos ou de alguma outra pastilha, sem a prévia consulta médica, na hora de dormir também pode provocar o ronco.

A apneia do sono

Uma em cada dez crianças que ronca, apresenta apneia do sono, caracterizadas por pausas temporais da respiração e uma das causas mais preocupantes do ronco.

A pessoa experimenta períodos sem respiração de mais de dez segundos enquanto dorme. Isso se pode repetir várias vezes durante a noite. Pode provocar dificuldade para comer, diminuição da memória, das habilidades e da concentração. No entanto, pela falta de oxigênio, os riscos são associados a problemas cardíacos, quando se faz necessária uma intervenção médica.

Quais as causas do ronco em crianças?

As causas do ronco em crianças são diversas, uma delas é dentária. Com uma mordida alterada, o jovem pode não conseguir fechar a boca corretamente e acabar respirando por ela. Esse problema pode ser corrigido com o uso de aparelho dentário, indicado por um odontologista.

A criança pode ter, também, um aumento das amígdalas e da adenoide. Essas duas alterações prejudicam muito a respiração, pois impedem a passagem de boa parte do ar. Neste caso, a correção do problema é feita através de uma cirurgia, geralmente bem simples, que dura cerca de 30 minutos.

Outra possível causa do ronco em crianças é uma má formação dos músculos e do rosto, o que geralmente é genético. Neste caso, a solução é o uso do CPAP, aparelho que através da compressão do ar simula a respiração natural.

Consequências do ronco infantil

Além do incomodo de quem ouve o barulho durante , a noite o ronco pode afetar a qualidade de vida da criança. Atualmente 12% das crianças roncam e a metade tem incontinência urinária quando dorme. Além disso, as apneias do sono triplicam o risco de sofrer de hiperatividade e um transtorno de déficit de atenção. Outra consequência é o baixo peso e altura, já que as crianças suam e consomem mais calorias durante a noite, porque fabricam menos hormônio de crescimento.

Tratamento do ronco infantil

O tratamento do ronco começa com um diagnóstico médico.

Caso você note que o ronco do seu filho é persistente, não permita que isso se prolongue mais. O médico indicará uma solução para o problema. Quanto antes solucionar, melhores serão os resultados. O diagnóstico será dado de acordo com a idade da criança, seus hábitos, e a persistência do ronco. Se é algo pontual, no caso de um resfriado ou alergia, será tratado. Caso observe que é uma consequência de sobrepeso, será indicada uma dieta para a criança.

Se o ronco chega a interromper muitas das horas de sono da criança fazendo com que durante o dia ela sinta muita sonolência, dores de cabeça e cansaço, deve-se fazer um estudo mais profundo. O mesmo ocorrerá se a criança apresenta apneia do sono. O ronco crônico deve ser avaliado e tratado o quanto antes para evitar problemas de crescimento, aprendizagem, escolares, etc.

Não ignore os sintomas. Conte com uma equipe de otorrinolaringologistas preparados para oferecer as melhores soluções e tratamentos para a sua saúde. Entre em contato para e agende a sua consulta.

Compartilhe este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *